Em tempos de crise e instabilidade econômica, nota-se um aumento cada vez maior no número de pessoas que buscam a estabilidade através de empreendimentos pessoais e investimentos em negócios próprios. Na área dos profissionais de Relações Internacionais, esse movimento é ainda mais intenso, e nós sabemos o motivo.

Não existe um consenso entre os autores do campo de Empreendedorismo sobre um conceito geral do perfil de um empreendedor. Para essa publicação, vamos utilizar a definição de Schmidt, professor do Centro Universitário Feevale, que destaca 8 características fundamentais para qualquer empreendedor:

  • Auto-eficaz
  • Assume riscos calculados
  • Planejador
  • Detecta oportunidades
  • Persistente
  • Sociável
  • Inovador
  • Líder

Segundo Schmidt, essas oito características tornam a construção do termo empírico, com itens de medição para observação. E qual a relação dos pontos anteriores com o graduado em Relações Internacionais?

Independente do foco da universidade em que o analista se graduou, o bacharel em Relações Internacionais possui diversas características que o destacam no jogo do empreendedorismo. A relação existe na capacidade do internacionalista em analisar qualquer tipo de dado, independente da área de atuação ou perspectiva teórica.

Isso ocorre devido a interdisciplinaridade dos campos, tanto acadêmico quanto profissional, que o analista internacional está inserido e se relaciona. Durante a faculdade, os graduandos devem estudar matérias de diversas áreas, todas elas voltadas para a análise e críticas construtivas. No mercado de trabalho, a dificuldade de reconhecimento decorrente da juventude da profissão proporciona uma verdadeira “diáspora” dos internacionalistas para áreas fora do setor internacional.

Entre esses e outros fatores, podemos entender que um analista internacional constrói ao longo de sua carreira um perfil que se assimila ao perfil empreendedor descrito por Schmidt, devido a capacidade de análise crítica de seu trabalho e a interdisciplinaridade em que esses profissionais estão imersos, florescendo assim as oito características básicas de um empreendedor.

Vale ressaltar que, assim como nem todos os homens possuem a habilidade de criar uma obra de arte, nem todos os analistas internacionais possuem a habilidade de empreender, com ou sem o perfil adequado.

 

Marcus Barbasa, empreendedor e com muita experiência em novos negócios, é um dos experts, convidados para palestrar no CONRI sobre novas oportunidades para profissionais de Relações Internacionais.